Sua Saúde

Plano Odontológico: cobertura, carências e vantagens

Plano Odontológico: cobertura, carências e vantagens

O interesse dos brasileiros em ter um plano de saúde nunca foi tão alto. Já são quase 50 milhões de pessoas com cobertura médica pela saúde suplementar. Além disso, existem no país 30 milhões com plano odontológico. Entre dezembro de 2020 e o final de 2021, o crescimento nas contratações desta modalidade foi de quase 10%.

Investir na saúde bucal tem efeitos positivos na qualidade de vida. Assim como ocorre com a cobertura médica, ter um plano facilita o acesso a mais tratamentos preventivos e, principalmente, curativos. Famílias que não possuem este tipo de cobertura normalmente só consultam um dentista em casos de urgência. O que é ruim para a saúde e finanças — geralmente são procedimentos caros.

Mesmo tendo valores mais acessíveis do que os de convênios médicos, os planos exclusivamente odontológicos também costumam ter uma taxa de satisfação melhor. Segundo pesquisa do Instituto de Estudos da Saúde Suplementar (IESS), cerca de 84% das pessoas que têm plano dental desejam permanecer com ele.

Para explicar um pouco melhor como funciona um plano odontológico, criamos este guia básico para falar sobre suas coberturas, carências, vantagens e como contratar um. Vamos lá!

A cobertura do plano odontológico

Mulher na sala de espera de uma clínica com dor de dente durante emergência odontológica.

O plano odontológico segue as regras de cobertura obrigatória definidas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Portanto, os convênios dentários têm um rol de procedimentos odontológicos que define quais procedimentos, tratamentos e situações são obrigatoriamente cobertos pelos planos.

Veja abaixo o que cobre um plano odontológico. É muito importante ter estas informações na ponta da língua antes de contratar o seu:

  • Serviços de urgência e emergência;
  • Consultas e profilaxia — limpeza e ações de prevenção, como uso de flúor;
  • Exames radiológicos;
  • Serviços de Periodontia e Odontopediatria;
  • Tratamento de canal e colocação de próteses;
  • Algumas cirurgias — como a extração de dentes.

Importante: todos os planos desta segmentação devem incluir em sua rede credenciada clínicas com atendimentos 24 horas para urgências.

O que não é coberto?

Apesar da ampla cobertura, procedimentos estéticos não estão inclusos no rol mínimo. Um exemplo são os tratamentos de clareamento dentário.

Ortodontia, a subespecialidade que corrige a posição dos dentes e maxilar com o uso de aparelhos, também não está na lista de procedimentos obrigatórios exigidos pela ANS. Entretanto, alguns planos odontológicos oferecem este serviço cobrando um adicional na mensalidade. Considere este investimento: mesmo com o aumento no valor mensal, o uso de aparelhos é tão importante — e comum — que esta contratação extra pode valer a pena.

Verifique sempre se o plano oferece descontos aos seus beneficiários em tratamentos odontológicos que não são cobertos. No Norden, por exemplo, todos os clientes que já têm o plano de saúde conseguem descontos em outros serviços médicos realizados pelo hospital próprio.

Carências do Plano Odontológico

Se você tem ou já teve um plano de saúde, sabe como funciona o período de carência. No plano odontológico elas também são aplicadas.

A carência é o período de espera para ter acesso a todos os serviços cobertos pelo convênio contratado. A ANS estabelece um tempo máximo que as operadoras podem praticar, em geral levando em conta a complexidade do procedimento a ser realizado. Alguns são liberados imediatamente, em 24 horas ou até em 180 dias.

Para realizar um tratamento de canal por um plano exclusivamente odontológico, algumas operadoras podem definir carências menores do que seis meses — 120 dias, por exemplo. Mas nunca maiores. Antes de contratar, leia atentamente o material comercial e o contrato.

Quais as vantagens de um plano odontológico?

Mulher sorri para um bebê, segurando-o no colo.

Entre 2014 e 2019 as despesas com assistência odontológica no Brasil cresceram 31%, chegando a R$ 3,4 bilhões. Tratamentos preventivos são o principal destino destes recursos, seguido de consultas, próteses e extrações dentárias (exodontias).

Assim como ocorre em todo o mundo, no Brasil doenças que afetam os dentes e a boca são muito comuns. E muitas de suas causas são evitáveis. Tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas e dietas ricas em açúcares são responsáveis por milhões de visitas ao dentista — e ao médico — todos os anos.

Doenças bucais podem ocasionar problemas a todo o corpo, como infecções. Fazer um acompanhamento regular com o dentista diminui consideravelmente as chances de uma doença se agravar.

Se a saúde oral é parte da saúde integral do corpo, a principal vantagem de ter um plano odontológico é ter mais acesso a tratamentos preventivos, com uma rede de profissionais para cuidar da saúde dos dentes.

Ainda assim, ter atendimento 24 horas se alguma urgência acontecer é uma vantagem considerável. É ai que entra a tranquilidade financeira. Em se tratando de gastos com saúde, ser pego de surpresa com uma conta muito alta pode prejudicar o orçamento familiar por anos.

Por fim, todo sorriso tem o poder de iluminar nosso espírito. Cuidar dos dentes permite que todos sorriam mais, tenham orgulho e autoestima e não evitem uma boa gargalhada.  Se “o sorriso é o cartão de visitas de uma pessoa”, então manter a saúde bucal em dia é primordial para sentir a segurança e o orgulho de sorrir.

Se é para cuidar melhor da saúde integral ou permitir-se sorrir mais, no final das contas o melhor plano odontológico é aquele que supre as necessidades individuais.

Como contratar um plano odontológico

Para contratar um plano familiar, o processo é bem parecido com a contratação de um convênio médico. Em muitos casos, pode ser feito até de forma online. Após definir qual o plano que mais se adequa às necessidades, separe o CPF, RG e um comprovante de residência.

Se o objetivo é ter um plano dental coletivo, em uma empresa, por exemplo, entre em contato com uma corretora de confiança e faça uma cotação. Neste caso, a lista de documentos — e etapas — necessárias é bem maior. A ajuda especializada é importante para a documentação agilizada e ativar o plano o quanto antes para seus colaboradores.

Em tempo: atualmente o Norden não oferece planos odontológicos. No entanto, o diretor-executivo da empresa, Antonio Pinotti, declarou que a operadora pretende começar a comercializar seu plano dentário ainda em 2022.

Leia Mais