Sua Saúde

Diabetes: 12 dicas para viver mais e melhor.

Diabetes: 12 dicas para viver mais e melhor.

A expectativa de vida dos brasileiros aumentou nas últimas décadas. Ainda que não tenha a cura para diabetes, a ciência tem mostrado que além dos medicamentos, alguns hábitos podem ajudar a controlar a doença possibilitando qualidade de vida para os portadores.

O diabetes ocorre devido ao erro na secreção ou atuação da insulina, hormônio produzido pelas células beta no pâncreas. A Insulina promove a entrada de glicose para as células do organismo, porém se houver erro na distribuição, há acumulo de glicose no sangue, a chamada hiperglicemia. De acordo com o Atlas de Diabetes, produzido pela International Diabetes Federations – IDF, cerca de 463 milhões de pessoas são portadoras desta doença no mundo.

Estudos para a descoberta da diabetes.

Além de ser uma doença comum, é também uma das que foram identificadas a mais tempo. Encontra-se registros de sintomas em 1500 AC, no Egito.

No início, poucas eram as informações sobre a doença. Os primeiros tratamentos contavam com flores frescas, óleo de rosas e amêndoas doces. Na Grécia era comum receitar exercícios físicos, preferencialmente a cavalo, para aliviar a micção.

Apenas em 1869, na Alemanha, descobriu-se na estrutura do pâncreas algumas células que, mais tarde, passaram a ser chamadas de insulina. Passados 52 anos os canadenses Frederick Banting e Charles Best (sob a direção de John Macleod na Universidade de Toronto) descobriram que a deficiência dessas células estava relacionada com a diabetes.

Quais os tipos de diabetes?

Paciente diabético mede nível de glicemia no sangue usando um destro

Sabemos hoje que diversas condições que podem levar ao diabetes, porém a grande maioria dos casos está dividida em dois grupos: Diabetes Tipo 1 e Diabetes Tipo 2.

Diabetes tipo 1: Mais rara. Resulta da destruição das células beta pancreáticas por um processo imunológico. Nesse caso podemos detectar em exames de sangue a presença desses anticorpos que são: ICA, IAAs, GAD e IA-2. Eles estão presentes em cerca de 85 a 90% dos casos de DM 1 no momento do diagnóstico. Pode ser desencadeado em qualquer faixa etária.

Diabetes tipo 2:  Grande maioria dos casos (cerca de 90% dos pacientes diabéticos). Nesses pacientes, a insulina é produzida pelas células beta pancreáticas, mas a ação é restrita. Ao contrário do Diabetes Tipo 1, a DM-2 está relacionada com a obesidade, acometendo principalmente adultos a partir dos 50 anos.

Diabetes gestacional: Surge durante a gestação e pode ser transitório ou não, ao término da gravidez. Geralmente é descoberto no 3º trimestre. Está relacionada com a produção de outros hormônios que bloqueiam a ação da insulina.

Pré-diabetes: Acontece quando o nível de açúcar no sangue aumenta, mas ainda não é o suficiente para um diagnóstico de diabetes.

Os sintomas são apresentados de forma diferente em cada tipo da doença. No tipo 1, o quadro clínico se manifesta em questão de poucos meses. Já no tipo 2, podem demorar anos para se desenvolver completamente.

12 dicas rápidas para viver bem com diabetes.

Melhor alimentação, controle de peso e exercícios são importantes no controle da diabetes.

Controle seu peso

A produção de insulina no corpo está diretamente ligada ao sobrepeso ou obesidade. Por isso, este controle melhora as condições gerais da doença.

Beba água

Procure beber dois litros de água por dia, para estar sempre com o corpo hidratado. Prefira beber água nos intervalos, nunca durante as refeições.

Refeições regulares

Faça pelo menos três refeições por dia, como café da manhã, almoço e jantar, além de dois lanches nos intervalos. Isso mantém bons níveis de glicemia no sangue.

Varie as porções

Coma pelo menos três porções variadas de legumes e verduras nas refeições. Inclua também frutas no cardápio.

Escolha os carboidratos

Alimentos integrais e ricos em fibras são carboidratos complexos, que são digeridos e absorvidos lentamente no organismo. Isso evita picos de glicemia.

Fuja das frituras

Escolha alimentos cozidos, assados, refogados ou grelhados. Eles possuem menos calorias e gorduras, se comparados com as frituras.

Aumente as fibras

Busque por alimentos integrais, que são ricos em fibras. Eles ajudam no controle da glicemia, além de colaborarem para o bom funcionamento do intestino.

Temperos naturais

Use salsa, orégano, alecrim e manjericão para reduzir o sal na preparação dos alimentos. Além disso, deixa tudo mais saboroso.

Evite refrigerantes

Prefira bebidas feitas com frutas naturais e caso for adoçar, utilize adoçante. Além de reduzir as calorias, não impacta na glicemia.

Leia os rótulos

Atenção com a lista de ingredientes e a tabela nutricional, escolhendo sempre os produtos alimentícios com menor quantidade de sódio, gordura e açúcar.

Exercite o corpo

Faça pelo menos 30 minutos de atividade física por dia. Ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue, podendo até diminuir a quantidade de remédios e insulina.

Cuide dos pés.

Diabetes afeta a microcirculação e a sensibilidade dos pés.

Estas são dicas rápidas e podem ser facilmente incorporadas na sua rotina diária.

Mas não deixe de consultar um médico e fazer exames frequentes, pois essas dicas são para melhorar a qualidade de vida antes ou durante o tratamento, mas não substituem ele.

Leia Mais