Bem-Estar

Os 5 principais cuidados com a asma para uma melhor qualidade de vida.

Os 5 principais cuidados com a asma para uma melhor qualidade de vida.

Entre as doenças crônicas, a asma é uma das mais comuns entre adultos e crianças no mundo. De acordo com dados do Sistema Único de Saúde (SUS), a doença está entre a terceira e a quarta causa de hospitalizações no Brasil. No entanto, a maioria dos asmáticos vivem sem crises recorrentes. Abordamos neste artigo, cinco cuidados indispensáveis com a asma para se ter mais tranquilidade e qualidade de vida.

No mundo, 300 milhões de pessoas são asmáticas. No Brasil, estima-se que sejam 20 milhões. A asma é uma das principais causas de faltas nas escolas e absenteísmo no trabalho, segundo a SBPT (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia).

Por outro lado, com o avanço da medicina e o tratamento correto, o número de internações e mortes tem caído no país. Nos últimos dez anos a redução foi de, aproximadamente, 49%.

Afinal, o que é a asma?

A asma é uma inflamação crônica das vias aéreas ou brônquios, que são os tubos que levam o ar para dentro dos pulmões.

As crises asmáticas não se manifestam da mesma forma sempre. Mas os sintomas mais comuns são: dificuldade de respirar ou falta de ar, chiado nos pulmões, sensação de aperto no peito e tosse. Eles variam durante o dia, geralmente agravando-se a noite ou durante atividades físicas.

Por ser uma doença crônica, não tem cura. Mesmo se algum dos sintomas variarem, ou até mesmo desaparecerem, a asma ainda estará presente.

Para amenizar este risco existem tratamentos que melhoram e controlam a patologia. Devido ao avanço da medicina, hoje já é possível que uma pessoa asmática tenha a mesma qualidade de vida de alguém que não possua a doença.

Entenda os gatilhos e melhore os cuidados com a asma.

Criança asmática espirrando sentada no sofá próxima a um cachorro.

Se você tem asma, ou conhece alguém que tenha, é muito importante que conheça os gatilhos que podem levar a inflamação dos brônquios, provocando uma crise asmática. Vamos ver quais são eles:

Fungos

São microrganismos com potencial para agravar a asma, pois aumentam a inflamação dos brônquios. Eles são encontrados com maior frequência no final das estações do outono e do verão, quando sopram os ventos mais quentes. Os fungos, crescem a uma temperatura superior a 37ºC e com umidade relativa do ar acima de 50%. Portanto, os ambientes mal ventilados, úmidos e empoeirados devem ser evitados.

Ácaros

Estes microrganismos e seus excrementos também são agentes que podem provocar uma crise asmática. Eles se alimentam da descamação da nossa pele, dos pelos dos animais e do mofo. Os ácaros estão em praticamente todos os lugares, mas encontram-se, principalmente, em colchões e lugares sem ventilação.

Pets

Geralmente, quem tem pets em casa tem mais risco de apresentar alergias respiratórias. As substâncias que causam a asma, neste caso específico, são provenientes do pelo dos animais, da saliva, urina e outros excrementos.

Se comprovado que a causa das crises asmáticas é proveniente do pet, a solução é o afastamento, pois esses alérgenos podem ficar no ambiente por até seis meses.

Pólen

O pólen representa o gameta masculino das flores, indispensável para a reprodução de várias plantas. É um gatilho porque o corpo sentindo sua presença nas vias respiratórias, produz enorme quantidade de células inflamatórias para combater o intruso na tentativa de eliminá-lo. Desse modo, aumenta a inflamação dos brônquios, provocando uma crise asmática.

Poluição

A poluição do ambiente pode piorar a asma. Neste contexto está também a fumaça de cigarro, que é muito prejudicial aos asmáticos. O local poluído dificulta a passagem de ar para os pulmões, provocando a inflamação dos brônquios.

O que fazer para controlar a asma?

Mãe e filha no pediatra fazendo acompanhamento médico.

Além de estar atento aos gatilhos, é fundamental fazer um acompanhamento médico, para maior qualidade de vida no convívio com a doença.

Um método muito relevante para controlar a doença, é praticar exercícios físicos aeróbicos, como caminhada, ciclismo e natação. O hábito de se exercitar, auxilia na respiração, melhora o sono e a disposição, criando um estado de bem-estar geral.

Pessoas asmáticas, devem estar sempre atentas às condições climáticas. A exposição ao ar muito frio e seco, podem desencadear alguns sintomas.

Bons hábitos alimentares também ajudam no controle da doença. Uma pesquisa com 32 mil voluntários realizada pela Universidade do Porto, em Portugal, revela que peixes, verduras e legumes ajudam a prevenir as crises. Por outro lado, o excesso de gordura saturada, sal e açúcar deixa mais suscetível a asma.

Em uma outra pesquisa, realizada na Suíça, as fibras contidas em alimentos como feijão carioca, soja, grão de bico e ervilha amenizaram os efeitos danosos dos gatilhos.

Como você pode perceber, é possível conviver com a asma e ter qualidade de vida. Mas para isso é necessário estar sempre atento aos gatilhos da doença e fazer um acompanhamento médico, para que o diagnóstico seja certeiro e o tratamento adequado.

Leia Mais